Conheça a cidade Oeiras, patrimônio histórico e cultural brasileiro

há 1 ano

Conheça a cidade Oeiras, patrimônio histórico e cultural brasileiro

Créditos: Juscel Reis

Conhecida mundo afora como a primeira capital do Piauí, Oeiras carrega muito mais que os títulos de primeiros. Ela carrega estruturas valorosas, sensações únicas, história viva, caminhos que levam ao passado, entendimento do presente e construção do futuro.

Para que você entenda tudo isso, o Conheça o Piauí mostra aqui todos os aspectos históricos e culturais que fazem dessa cidade ser turística e ao mesmo tempo tão importante não só para o Piauí, como para todo o país.

 

#O que é Oeiras

Antes de mais nada, você sabe o que significa Oeiras? E por que foi colocado esse nome nesse município do Piauí?

A palavra Oeiras, de acordo com José Pedro Machado em seu Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa, poderá vir do latim Aurarias, plural de Auraria, que é mina de ouro. Desse modo, o nome de Oeiras leva a aproximar a fundação da povoação a eventuais atividades auríferas no local.

Em Portugal o nome Oeiras é dado a um concelho (neste caso, por tratar-se de uma divisão administrativa de município ou cidade, escreve-se com C mesmo) que fica no distrito de Lisboa, capital portuguesa, e tem cerca de 173 mil habitantes.

Já no Brasil, Oeiras é um município do Piauí que completa 308 anos em 2019 e que tem em seu nome uma homenagem ao Conde de Oeiras de Portugal, o futuro Marquês de Pombal.

 

#Como se deu a origem de Oeiras no Piauí

A origem de Oeiras se deu a partir de uma expedição organizada por fazendeiros ao centro-sul do Piauí, dentre eles Domingos Afonso Mafrense, caravanas essas que fizeram com que eles encontrassem, onde hoje é Oeiras, uma extensa terra bem propícia para criação de gado. Com isso, acabaram por instalar suas fazendas nessa localidade. E foi justamente a partir dessas fazendas de gado e dos primeiros núcleos populacionais, que Oeiras se formou.

A história que é a mais relatada por livros, pesquisadores, historiadores, dentre outros, é de que a sua origem foi mais precisamente a partir do desenvolvimento da fazenda Cabrobó, que era de propriedade de Domingos Afonso. Essa fazenda ficava à margem direita do riacho da Mocha e a apenas 6 km do rio Canindé.

Assim foi formando uma povoação nessas terras que, passada já ao nível de freguesia, tem como seu marco a fundação, em 1695, de uma capela dedicada à Nossa Senhora da Vitória. Esse povoamento ao redor da capela explica muito a forte tradição religiosa que permeia Oeiras.

Já em 1712, a então freguesia foi elevada à categoria de vila, com nome de Vila da Mocha. Em 1758, após ser criada a capitania do Piauí, a vila de Mocha tornou-se sede do governo da capitania, já que ela era o maior e mais povoado núcleo populacional até então.

Em 1759 a Vila da Mocha tornou-se a capital do Piauí, isto é, ela foi capital antes mesmo de ser cidade. Com dois anos depois, em 1761, foi que a Vila da Mocha foi elevada para categoria de município, passando então a se chamar Oeiras.

 

#Oeiras hoje

O município possui, de acordo com último Censo, 36.432 habitantes, configurando-se assim como a 13ª cidade mais populosa do Piauí.

Pertencendo à microrregião de Picos, Oeiras tem como principal fonte de economia o comércio, tendo a parte ao redor do Mercado Público Municipal a sua grande movimentação.

Já com relação à vegetação, a cidade está em uma região de transição cerrado-caatinga, tendo ainda como clima predominante o Tropical Semirárido. O município também é composto por diversos morros ao redor, que fazem com o que o local também seja propício para aventuras.

Quer saber o que fazer na primeira capital do Piauí, clique aqui e saiba mais.

0 comentários Realize o login ou cadastre-se, e entre na conversa !
Usuário

CONHEÇA MAIS:

Enviar
Inscreva-se e receba e-mails com os últimos destinos de viagem do Conheça o Piauí
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório